As garrafinhas

No seguimento do post “Expandir a consciência”.

Imagine uma quantidade de garrafas cheias de água do mar, existindo lado a lado dentro do oceano. A água que está dentro é a mesma que está do lado de fora, em todo esse imenso universo de água. E a água que está dentro de uma é a mesma que está dentro da outra. No entanto, as garrafas arrolhadas pensam que a porção que têm em seu interior é distinta do resto do universo. Algumas dessas garrafas conseguem desarrolhar-se e, então, dão-se conta de que a água que está dentro é a mesma que está do lado de fora e que o universo flui para dentro e para fora sem obstáculos nem impedimentos. Conscientizam-se de que não estão separadas umas das outras, mas que estão todas ligadas e em comunicação entre si pelo fluido cósmico. As garrafas são os seres humanos. A rolha é a personalidade. A água é o Absoluto. O ato de tirar a rolha é a expansão de consciência em seus estágios finais.

Tratado de Yôga, DeRose, Afrontamento

bigthumbnail

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s