Técnicas corporais e meditação

Muitas pessoas acreditam que corpo e mente são duas coisas separadas. Esta ideia está muito presente na cultura ocidental, onde costumamos dividir-nos em corpo e mente. Talvez por isso, muitos ocidentais tenham dificuldade em entender porque é que o Yôga antigo tem uma prática de técnicas corporais bastante forte, se o objectivo da filosofia é atingir um estado expandido de consciência, ou seja,  um estado de meditação ou de hiper-consciência.

“Será que praticar meditação só não basta? Se o objectivo é atingir um  determinado estado da mente, porque é que não deixamos o corpo de lado e trabalhamos só a mente?” Estas são  as perguntas que muitas vezes fazem os alunos que se estão a iniciar-se no Yôga.

No oriente, onde o Yôga surgiu, a visão sempre foi mais holística. Para o Yôga, nós somos unos, corpo e mente são um todo integrado e inseparável, de modo que tudo aquilo que eu faço ou acontece no meu corpo, tem uma consequência simultânea na minha mente. Da mesma maneira, todo o acontecimento mental tem um impacto imediato no meu corpo.

Todos os dias sentimos essa ligação. Quando não damos descanso suficiente ao corpo físico, isso tem um impacto imediato na mente. Sentimos logo que a concentração e a memória ficam afectadas, e percebemos que o raciocínio não é tão claro e rápido como desejaríamos. O mesmo acontece quando passamos muitas horas sem comer, a falta de alimento afecta o corpo físico e tem um reflexo imediato no nosso plano mental e emocional. É muito comum ouvir as pessoas queixarem-se de irritação quando surge a sensação de fome.

Mas a relação inversa também acontece. Quando temos a mente carregada de pensamentos tristes e negativos, o corpo físico reage e toda a nossa expressão corporal denota tristeza, por outro lado, quando os pensamentos são positivos e bem humorados sentimos o corpo mais disposto e forte.

a tua prática

Percebendo que existe uma ligação entre corpo e mente, é fácil entender o papel das técnicas corporais na busca do auto-conhecimento.

As técnicas corporais do Yôga possuem três factores:

1. Posição (deve ser estável, confortável e estética)

2. Respiração coordenada (deve ser consciente, profunda e ritmada)

3. Atitude interior (deve ter localização da consciência, mentalização e intenção)

Nos primeiros tempos de prática de Yôga vamos dar mais atenção aos dois primeiros factores, e com isso vamos conquistar melhor condição física e energética, que nos vais proporcionar bem estar, descontracção e mente limpa, e no fundo uma sensação de estarmos de bem com a vida.

Mais tarde, começamos a conquista do terceiro factor, trazemos a mente para o momento presente, alteramos estados de consciência através da mentalização e procuramos uma sensação de plenitude, e assim são geradas as  condições ideais para uma meditação bem sucedida.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s